#CADÊ MEU CHINELO?

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

[over12] QUEM GANHOU A ELEIÇÃO FOMOS NÓS



::txt::Monsenhor Jacá::

A mídia, seja ela grande ou alternativa, oficialesca ou golpista, comemorou ou lamentou os resultados do segundo turno da eleição presidencial. Mas nenhuma delas abriu nossos olhos para um importante detalhe: a percentagem de eleitores que não votaram em nenhum dos dois candidatos neoliberais.

Os motivos são óbvios. Primeiro por que ambos, Dilma e Serra, são os representantes legítimos do neoliberalismo e neocoronelismo. Eles não traziam ameaças ao sistema. Não passam de reformistas, preocupados com algumas questões sociais, mas que rezam a cartilha tucana do Banco Central. Basta observar a alegria do presidente da FIESP e de setores do agronegócio pela vitória petista.

Porém, há porém, há um caso diferente. Para os que não concordam com a democracia representativa, ou ditadura da maioria, como nós da revista O DILÚVIO e de muitos movimentos populares e grupos libertários, as urnas trouxeram um recado: QUEM GANHOU A ELEIÇÃO FOMOS NÓS!

Observe os números abaixo:

Dilma:
55.752.529 = 41%

Serra:
43.711.388 = 32%

nenhum:
36.338.855 = 27%

Arredondei os percentuais pra facilitar as contas, pois me nego a usar calculadora. Mais de 36 milhões de brasileiros não votaram nem em Dilma nem em Serra. Votaram branco, anularam o voto ou nem foram votar (meu caso). Você dirá: “muitos que não foram votar, se fossem, votariam num dos dois”. Mas não foram. E não compareceram porque os dois fantoches neoliberais não tiveram capacidade de despertar alguma vontade ou sentimento eleitoreiro.

Somos em torno de 27% de cidadãos brasileiros considerados 'inválidos' pela justiça eleitoral. E por carregar esse rótulo de invalidez, criam-se mentiras a respeito da gente. Tais quais:

1) Quem não vota ou anula ajuda fulano a se eleger. MENTIRA! Quem ajudou a eleger Dilma foram os eleitores dela. Não temos culpa por essa tragédia.

2) Quem não vota ou anula não pode reclamar depois. MENTIRA! Quem paga imposto pode reclamar quando quiser, de quem quiser, pois vivemos num país em que a constituição nos assegura a liberdade de expressão.

3) O teu voto vai fazer falta depois. MENTIRA! Com uma diferença de 12 milhões de votos entre os dois candidatos, é óbvio que meu voto não fez falta. Não seria o meu voto que ajudaria a eleger a farsa tucana. Meu voto não vale nada!

3.1) Imagina se todos pensassem assim. BALELA! Você pode achar importante o seu voto, e você vota em quem quiser. Num país democrático, tenho o direito de fazer o que quiser com meu voto, inclusive anula-lo. Respeito se você votou nele ou nela, mas você precisa respeitar o meu. E na minha humilde opinião, meu voto não vale porra nenhuma. Se o seu voto vale, beleza, faça bom proveito.

4) Quem não vota ou anula não exerce a cidadania. MENTIRA! Nossa escolha significa um protesto, e pelo que se sabe, temos o direito de protestar, que é um direito cidadão.

5) Numa falsa democracia, todo voto é nulo!

Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@