#CADÊ MEU CHINELO?

sexta-feira, 15 de maio de 2009

PIRATARIA




# águas passadas ou boizébuss #
E os piratas atacam a arca...

txt: Eduardo Buss


Bom, parece que ultimamente a Arca está sendo atacada por piratas. Então eu, como pirateador, me sinto obrigado a dar minha opinião sobre o assunto. Eu não tenho dúvidas que a pirataria é uma das maiores pedras no sapato capitalista. Os CDs são os presentes mais vendidos nessa época de natal e a pirataria rola solta. A pirataria de música ocorre basicamente de duas formas: Uma delas são os camelôs do centro, que vendem cds do padre marcelo e Sandy e junior, é uma pirataria quase industrializada". Pois os camelôs são os que mais incomodam a indústria fonográfica. Volta e meia a TV mostra um grupo de pagode ateando fogo em um monte de cds apreendidos. No centrão dá pra encontrar todos esses cds populares que já vendem horrores.

Mas por que a índustria ainda cobra vinte pilas por um cd que os camelôs conseguem copiar e vender por cinco? Tá, tudo bem, tem a indústria, gera um monte de empregos, mas e daí? A indústria é uma merda mesmo! O que a indústria faz de prático pra tentar combater essa pirataria? Por que não tentaram fazer promoções, dar brindes, melhorar o trabalho gráfico do cd, sei lá, fazer alguma coisa pra valorizar o produto? Não, o produto é exatamente o mesmo, desde que foi criado, com raras excessões. A única coisa que a indústria faz é mandar um batalhão de advogados exigir respeito aos direitos autorais, atrapalhando os trocadores de mp3 pela internet. E se ferraram porque já estão aparecendo programas a prova de advogados, essa galera da informática é foda. É curioso o fato de serem as gravadoras que exigem respeito a direitos autorais, pois imaginava que esses direitos eram pra ser dos autores...

Como eu acho que nenhum dos amigos pretende montar uma barraquinha lá no centro pra vender cds piratas, vou falar do outro tipo de pirataria que também existe. É o cara que pega música pela internet (meu caso) e grava, trocando o som com amigos. Eu normalmente procuro material mais antigo e raro, coisas que muitas vezes nem sairam em cd. As vezes existe um determinado cd que apenas uma gravadora no mundo tem os direitos de distribuição, coloca o preço que quer e era isso, 50, 100 dólares pra importar.

Eu acho que a nossa cultura músical é horrível. Na música existem muitos tesouros escondidos, perdidos no meio da enorme massa de mídia músical que a indústria criou e não consegue administrar. É impressionante a quantidade de jóias da música que nunca foram lançadas em cd. A indústria não consegue distribuir ao mesmo tempo material de artistas novos e de artistas mais antigos, não existe mercado pra tudo. Muita coisa já se perdeu e dificilmente será relançada. Eu acho que existe uma necessidade de preservar essas obras, de qualquer forma e a qualquer custo.

A importância disso só poderemos ver no futuro.Os dois tipos de pirataria tem seus méritos. O primeiro é uma facada na indústria, demonstra toda a fraqueza do produto cd em termos de qualidade: o cd pirata mais vagabundo ainda é parecido com o original. O segundo revela a incompetência da indústria em administrar todos os títulos lançados e até em pagar os famosos "direitos autorais". Como é que um autor vai receber direitos se a sua obra não for relançada, e em todo o mundo? E aí, o que fazer? Dar força pra essa indústria e deixar as gravadoras decidirem qual música as pessoas devem ouvir ou piratear?
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@