#CADÊ MEU CHINELO?

segunda-feira, 6 de abril de 2009

CONTRA A OBRIGATORIEDADE DO DIPLOMA DE PROSTITUTO



# over12 #

Diploma pra chupar o pau da grande mídia ?


txt: Tiago Jucá Oliveira

Uma discussão permeia uma das classes mais falsas e mesquinhas da sociedade, na qual infelizmente me incluo. De um lado, jornalistas que tentam melhorar a imagem da catigoria, através de mídias marginais e autônomas, contrapondo a versão oficial. Do outro lado, os prostitutos, fiéis e mansos na frente dos patrões, mas leões diante dos colegas de profissão, inclusive processando alguns deles.

O tal debate se dá em torno da obrigatoriedade ou não do diploma de jornalista. Vejamos alguns argumentos dos prostitutos, liderados pela Fenaj: "Em 1964, há 45 anos, na madrugada de 1° de abril, um golpe militar depôs o presidente João Goulart e instaurou a ditadura que castigou o Brasil durante 21 anos. A sociedade brasileira pode estar diante de um novo golpe. Desta vez, direcionado contra o seu direito de receber informação qualificada, apurada por profissionais capacitados para exercer o Jornalismo, com formação teórica, técnica e ética."



Égua, macho! Jornalistas com formação teórica, técnica e ética! Onde há isso na grande imprensa? O que esses prostitutos querem é muito simples. Com menos concorrência no mercados, eles se mantém nos seus empreguinhos ridículos, dando a previsão do tempo e puxando o saco do superior pra evoluir dentro da empresa, pra quem sabe ir pro canal ruralito. Um dia quem sabe vira um Diogo Mainardi.



Se estão tão preocupados com um jornalismo ético, por que trabalham na Veja, na Folha, na Zero Hora, na Band, no O Globo? Por que não levantam a voz contra a censura que está acontecendo aqui no Rio Grande do Sul? Meda do patrão? Bando de hipócritas! É uma vergonha ter colegas do nível de vocês!

Sem diploma há tantos jornalistas melhores que esses prostitutos que nem cabe aqui o nome de todos, mas só pra humilhar: a Sabrina Sato faz jornalismo melhor que a maioria dos diplomados. Isso em falar em Regina Casé, Dráuzio Varela, Fernando Gabeira, Arlei Arnt, os Alexandres do Jornalismo B...

Podem até aprovar essa palhaçada, mas aqui na redação essa lei não valerá. Mais vale uma Sabrina sem diploma do que um Fotonaldo com diploma. Jornalismo não é profissão. É dom! O mesmo vale pros prostitutos: se você é um, não é a falta de diploma que vai impedir de você lamber o chão da sala do chefe. Conheço você desde os tempos de faculdade, e já naquela época era um puxa saco dos professores e um traíra com colegas. O tempo muda. Você não! Nada por amor, tudo por dinheiro.

Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@