#CADÊ MEU CHINELO?

sexta-feira, 22 de maio de 2009

ÉGUAS PASSADAS NÃO MOVEM MOINHO



# águas passadas #
A vida como ela Noé

txt: Jucazito
grfts: ?

Arlete era do tipo pistoleira. Bem munida de bundas e tetas, todo fim-de-semana lá ia a bichinha para o guerrear dos campos de batalha. No escurecer das horas, entón, Arlete parecia fêmea no cio. Dois dedos de prosa eram suficientes para deixar a sem-vergonhice da égua toda molhadinha. E foi numa noite de cantar sapos e cigarras que o Abelha veio a montar na potranca.

Abelha vivia no de picar gatinhas e galinhas, mas o cavalgar de égua ninguém desconfiava lá pelas cercanias do São José do Tibicuari. É verdade, e sejamos justos, não foi a língua da bocuda que deitou entre os dentes. A ferroada do Abelha fora visto por dois pares de olhos no esconder das moitas, a um peido de distância. De acordo com o cochichar da urubuzada bebe-fuma-joga-sinuca-fim-de-tarde do bar do Keko, Abelha tentou o melar de rabo de Arlete sem o conhecimento dela. A desgraçada, no coiçar pra trás, deu com as ferraduras nas pernas do infeliz. E no mancar da semana é que o mel azedou a reputação do Abelha. Diabo é isso, picar a égua no matagal nos costados do Pereira Coruja.

Dois dias depois do combate entre ferrão e ferradura, no cochilar da tarde, Arlete seguia rumo ao Tingueté a procura do único veterinário do lugarejo. Guariba guardava os comentários alheios na memória, ainda no frescor dos acontecimentos, porém nunca havia botado olhos nas farturas da égua guerreira. No baixar das vistas, examinou o rebolar dela e notou o sobe-e-desce suingado daquele traseiro bondoso. Mas no bem educar de berço, disfarçou a consulta com a receita dos remédios:
- Tome cá este chá e o relincho da senhorita volta ao compasso do troteado.

Foi no agasalhar da noite que Abelha foi tomar um tiquinho de confissão com o pároco. Dois terços depois do perdão, o abelhudo ficou zangado com o cantar das andorinhas ao seu respeito. Só uma cousa havia a fazer: o lavar de louça suja. Sem o colher de louros após os fatos, Abelha saiu no catar de pistas sobre os atentos olhos daquela maldita noite aluada. Somente a desfeita do boato poderia adocicar seu favo de mel.

Invernos se passaram, e no chorar recém nascido de uma tal éguinha Pocotó, Abelha teve o mais terrível pesadelo. A bichana dava coice que nem a mãe, e ainda parecia ter um ferrão na bunda tal qual o pai:
- No enrabichar das cachorras eu não cairia em tamanha cilada. Filha de uma égua!
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@