#CADÊ MEU CHINELO?

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

CULTURA DIGITAL

# agência pirata #
Rede social para a cultura digital do Brasil


txt: Leonardo Foletto

Foi amplamente divulgado no fim do mês passado a criação da rede social Cultura Digital, lançada pelo Ministério da Cultura com o objetivo de ser um “espaço público e aberto voltado para a formulação e a construção democrática de uma política pública de cultura digital, integrando cidadãos e insituições governamentais, estatais, da sociedade civil e do mercado“.

É uma rede social que funciona como outras tantas que hoje todos nós conhecemos, com diversas pessoas participando de tópicos, anunciando eventos, sendo “amigas umas das outras”. Mas o foco aqui é a discussão e a reflexão das diversas temáticas presentes no guarda-chuva cultura digital, especialmente para fins de efetiva elaboração de políticas públicas nesta área – que, por sinal, há anos vem merecendo um especial destaque do MinC através de iniciativas de pessoas como José Murilo Jr, gerente de informações estratégicas do ministério, coordenador do Cultura Digital e também editor do blog Ecologia Digital.

O lançamento oficial foi feito no último dia de julho, 31, uma sexta-feira. Nestes quase um mês de funcionamento, mais de 1000 pessoas já adentraram o espaço virtual, alguns já participando dos cerca de 20 tópicos presentes, outros descobrindo o novo mundo que o Cultura Digital abre para quem quer discutir ou conhecer mais sobre o tema.

Dentre os cerca de 20 grupos já criados, destaco três que particularmente interessem ao BaixaCultura e a quem vos escreve. Mas saliento que tem grupo para todos os gostos e interesses

_ Jornalismo colaborativo na web;

Administrado por Nanni Rios, jornalista gaúcha editora do Jornal de Debates, colunista de Cultura Digital do portal Artistas Gaúchos e idealizadora do portal colaborativo sobre artes e cultura Parangolé. Tem por enquanto 44 membros, e uma das principais discussões atuais é com relação a qual seria o modelo de negócios a ser utilizado nas agências de fotografia na era da imagem digital, livre e compartilhada.

_ Generosidade Intelectual;

Tem 139 membros e é administrado por Bruno Tarin Nascimento, que, dentre outras coisas, foi bolsita do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação na função de Articulador Regional RJ/ES da Ação Cultura Digital do MinC e coordenador da área de audiovisual do Ponto de Cultura Circo Voador. Ainda não teve tópicos para debate, mas há um interessante artigo postado na página do grupo que fala da aplicação dos sistemas wiki em ambientes corporativos e educacionais.

_ Comunicação Digital;

É adminisitrado pelo jornalista André Deak, referência na área de reportagem multimídia, e também colega de Reuben no Mestrado em Comunicação da ECA/USP. Conta com 244 membros e já tem até blog, que funciona como um apêndice para as discussões no grupo. Os eixos para o debate no grupo são:

_ delimitação do campo: o que é comunicação digital?
_ diagnósticos: quais são os problemas? quais as perguntas que precisamos fazer?
_ formulações e propostas: quais políticas públicas devem existir? que ações este grupo deveria tomar? quais pressões deveríamos fazer?

**

Em Novembro, será realizado um primeiro Fórum Fórum da Cultura Digital Brasileira, na Cinemateca, em São Paulo, em data ainda indefinida (provavelmente na segunda quinzena, segundo Andre Deak). Será a oportunidade de dar encaminhamentos concretos para algumas das questões discutidas na rede.

A propósito: mesmo se você não tenha de imediato o que contribuir para o debate, entre lá no Cultura Digital e registre-se; a rede é um bom local para se informar e aprender sobre o que anda se discutindo nesta área. Fuçe pelos grupos, pelos blogs (quando você se registra, ganha também um espaço para criar um blog dentro da rede), pelo perfil das pessoas que lá estão, e participe.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@