#CADÊ MEU CHINELO?

quinta-feira, 23 de maio de 2013

[agência pirata] CEMITÉRIO DE ELEFANTES


:: txt :: Gabriel Priolli ::

 Nas oportunidades que tive de cobrir visitas presidenciais e de dignatários norte-americanos ao Brasil, em priscas eras, um aspecto sempre me impressionou muito: a idade avançada dos repórteres daquele país, designados para as viagens. “Idade avançada” talvez seja exagerado para profissionais na faixa dos 60 anos, que, com hábitos saudáveis, um bom plano de saúde e um pouco de sorte, provavelmente atingiram os 80. Mas é totalmente cabível, quando o termo de comparação é a imprensa brasileira, em que é cada vez mais raro ver um repórter grisalho em ação, quanto mais um cabeça-branca.

 Bem mais jovem que os caras, eu ficava admirado com o grau de informação e a acuidade das perguntas que faziam, tanto a seus governantes quanto aos nossos. Aprendia com a sua capacidade de análise. Invejava a segurança deles, ao enfiar a questão mais cabeluda pelas ventas do entrevistado, em tom bastante agressivo, sem pestanejar nem, muito menos, gaguejar. Aqueles velhinhos abusados eram tudo o que eu queria ser quando crescesse.

 Muito bem, eu cresci e hoje sou um deles. Um colega de faixa etária, bem entendido, pois a vida me levou para outras atividades profissionais. A vida e a rotina da nossa profissão. Mesmo que quisesse, que eu ainda preferisse o garimpo da notícia ao tratamento dela, na redação ou na ilha de edição, eu não teria a chance de exibir os meus últimos fios de cabelo encanecidos ao olhar de uma fonte. Lugar de tiozinho, no jornalismo pátrio, é na retaguarda, não na linha de frente. Isso para os poucos que ainda restam na ativa. Para a maioria, lugar de jornalista veterano é a rua mesmo. A da amargura.

Dinossauros de escol

 Eu vi quando começou, nos anos 1980, o processo de “rejuvenescimento” da nossa imprensa. Razões administrativas do credo neoliberal determinaram o corte de legiões de coleguinhas maduros, verdadeiras bibliotecas ambulantes, mas também profissionais caros e pouco maleáveis. Em poucos anos, as redações estavam repletas de garotos – sem veteranos à vista para orientá-los, para evitar que cometessem velhos erros. Por melhores que fossem – e muitos eram –, eles não tinham ainda o conteúdo e o senso crítico que só a vivência oferece. Não tenho dúvidas de que esse foi um fator, entre outros, do empobrecimento do nosso jornalismo.

 Hoje vejo à minha volta jornalistas veteranos, ainda com muita lenha para queimar, angustiando- se no desemprego, na inatividade forçada. Repórteres e outros mais: fotógrafos, editores, cinegrafistas, a fauna inteira. Lembro o quanto aprendi com Samuel Wainer, Osvaldo Peralva, Newton Rodrigues ou Cláudio Abramo, já lendários dinossauros quando os conheci, apenas de conviver com eles no dia a dia. E lamento que os novos profissionais e o público não tenham mais a oportunidade de beber na fonte da sabedoria acumulada.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@