#CADÊ MEU CHINELO?

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

[agência pirata] PELA SOBREVIVÊNCIA DOS IMPRESSOS

 
:: txt :: Dirceu Martins Pio ::

 Como jornalista, torço pela sobrevivência dos impressos. Como leitor, ando meio cético diante dessa possibilidade. Os impressos estão seriamente ameaçados de extinção por inadequação de uso. Atrevo-me a dar – às pessoas que os fazem no Brasil – um rol de dez recomendações. Quem sabe, os leitores poderiam ampliá-las e aperfeiçoá-las. O debate em torno do futuro dos impressos não pode parar. Ei-las:

1. Prestem mais atenção ao clima organizacional. As redações estão traumatizadas pela longa série de ajustes e cortes. Para ter qualidade, a atividade intelectual precisa de um mínimo de segurança e paz. O momento tem de ser o da trégua, do pacto de não agressão. Que tal pensarem numa trégua de pelo menos dois anos?

2. Escolham líderes inventivos e que tenham uma compreensão atual e moderna do mundo digital. Invistam em treinamento para acelerar a capacitação de todas as pessoas para lidar com a inserção no mundo digital das informações captadas para a produção dos impressos.

3. Observem que a configuração urbana e econômica do país passa por grandes transformações. Descentralizem estruturas e deem cobertura aos novos mercados que despontam com grande vitalidade fora dos eixos tradicionais do desenvolvimento. Os novos eixos são celeiros de oportunidades e é natural que uma grande parte das atenções do leitor se volte para eles.

Criatividade e publicidade institucional

4. Fortaleçam a cobertura de economia e negócios e resgatem o espaço que todos já dedicaram ao agronegócio. Esses conteúdos têm mais força nos meios digitais e serão de grande valia na hora de recuperar receitas que migraram do papel para a internet.

5. Invistam em bons pauteiros, que sejam capazes de trazer uma boa quantidade de matérias exclusivas todos os dias. Não acreditem na teoria de que a missão dos jornais em papel é fazer uma boa consolidação do material já divulgado no dia anterior pela internet, pela TV e pelo rádio. O leitor exige muito mais que isto. Quer ser surpreendido, diariamente, pelo seu jornal.

6. Trabalhem, comercialmente, também com muita criatividade. Lembrem-se de que o anunciante compra cada vez menos os produtos de prateleira e compra cada vez mais o taylor made, o produto feito quase de encomenda para ele e que sirva de boas molduras para a sua publicidade institucional.

Não desistam do papel

7. Façam mais jornais e otimizem assim os recursos aplicados na indústria gráfica, na distribuição, na captação de conteúdos.

8. Usem a interatividade dos meios digitais para desvendar o interesse do leitor por informação e façam jornais cada vez mais endereçados.

9. Invistam em reportagem. Os impressos serão cada vez menos o espaço do hard news e cada vez mais o espaço da reportagem e também da análise da tendência da notícia.

10. Insistam com o papel. Não desistam do papel. Ainda não inventaram nada que substitua o papel em suas principais características – portabilidade, credibilidade, documentabilidade, capacidade de reprodução de fotos, ilustrações e cores.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@