#CADÊ MEU CHINELO?

domingo, 21 de agosto de 2011

[agência pirata] O INVENTOR DA GUITARRA POPULAR BRASILEIRA



::txt::Fabio Gomes::

Nascido em Barcarena, interior do Pará, em 1934, Joaquim de Lima Vieira foi técnico em eletrônica, carpinteiro e lavrador (sua família é pioneira na produção de abacaxi no município) antes de resolver, aos 25 anos, se dedicar inteiramente à música. A decisão foi acertadíssima: o antropólogo Hermano Vianna o considera consolidador do estilo que denominou como "guitarra popular brasileira".

Por causa de sua criação, a guitarrada (que alia elementos do choro, da jovem guarda e do merengue), Vieira é tido como o fundador de uma escola para a guitarra no Brasil, tão importante quanto a guitarra baiana introduzida pelo trio elétrico criado por Dodô e Osmar.

Entre os artistas que influenciou, estão Herbert Vianna, d’Os Paralamas do Sucesso, Chimbinha, da banda Calypso, Pio Lobato, o grupo La Pupuña e outro mestre, Aldo Sena, que criou o grupo Populares de Igarapé-Miri após ouvir o primeiro LP de Vieira e seu Conjunto, Lambada das Quebradas (1978).

Aos cinco anos, começou a tocar banjo; aos dez anos, fundou um conjunto regional com irmãos e primos. Com 14 anos, passou ao bandolim, sendo eleito o melhor solista do Estado ao interpretar seu choro “Te Agasalho” num concurso da Rádio Clube do Pará.

Enquanto seguia tocando em grupos regionais, passou a fazer alegorias para a escola de samba Boêmios da Campina. Foi um amigo da Boêmios, Peixoto, que o ensinou a montar e consertar rádios. Este conhecimento lhe foi decisivo quando, ao criar novo grupo - Vieira e seu Conjunto –, enfrentou um impasse: para conseguir tocar guitarra numa cidade onde ainda não havia energia elétrica, Vieira utilizou baterias de automóvel para construir um amplificador que funcionava com pilhas.

O primeiro disco, Lambada das Quebradas, vendeu mais de 200 mil cópias e repercutiu na França, Suíça e Inglaterra – este país negociou com a gravadora brasileira Continental que lançasse na Europa o segundo LP de Vieira, Lambada das Quebradas Vol 2. Em 1980 foi coroado no exterior “Rei da Guitarra e da Lambada”. Já em 2002 recebeu na Inglaterra e na Escócia o título de “Melhor Guitarrista do Mundo”.

Em 2000, foi destaque nacional num documentário da série Música do Brasil, dirigido por Belisário França e produzido por Hermano Vianna; por ocasião da filmagem, um ano antes, conhecera o guitarrista Pio Lobato, que em 2003 o convidou a formar com Curica e Aldo Sena o grupo Mestres da Guitarrada. O grupo tocou nas principais cidades do Brasil, atuou no exterior (apresentou-se na Alemanha em 2006 e na França em 2007) e lançou dois CDs, Mestres da Guitarrada (2003) e Música Magneta (2008), este um disco duplo gravado em Recife com participação de músicos pernambucanos.

Em 2008, Curica e Sena optaram por criar outro grupo, Guitarradas do Pará, e desde então Vieira tem tocado no Mestres da Guitarrada ao lado de Pio Lobato e convidados. Seu disco mais recente é o CD Guitarrada Magnética, de 2009. Um documentário sobre sua vida e obra está sendo produzido pela jornalista Luciana Medeiros.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@