#CADÊ MEU CHINELO?

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

[do além] SOUTH AMERICAN WAY


:: txt :: Carmen Miranda ::

Lembra quando me acusaram de ter voltado dos EUA americanizada? Fui muito criticada por aqui. Muitos acreditavam que, após ter conquistado a América, eu havia renegado minha identidade brasileira. Naquela época, era mais fácil separar uma da outra. Os tempos são diferentes. Hoje, quem diria, o Brasil virou uma das maiores economias do mundo. Somos nós que estamos com a burra do dinheiro e eles que estão em crise.

E o que resolvemos fazer com nossa grana? Saímos a comprar ícones americanos. Primeiro foi a Budweiser, agora o Burger King. E como sintoma maior dessa nova era, alugamos o Madison Square Garden para uma cantora brasileira fazer um show no estilo americano, para uma plateia brasileira. E depois ainda celebramos o feito na imprensa. Local. Agora só falta a Lojas Americanas comprar o Walmart. Pelo que estou entendendo, o propósito do imperialismo brasileiro é americanizar a América. Antigamente estávamos interessados em ver o Tio Sam pegar o tamborim, o pandeiro e a zabumba. Queríamos, ao menos, uma troca de influências, por menor que fosse. Mas parece que mudamos nossos anseios. Nosso desejo é ser mais americanos que os próprios americanos. Estamos nos comportando como aquele sujeito que recém se converteu a uma religião e precisa mostrar aos antigos fiéis que sua decisão foi tomada com enorme convicção.

Acho que podemos almejar voos mais altos. Não estou só sugerindo que o Burger King passe a vender pastel de feira. Isso seria o mínimo. Depois do Rock in Rio Lisboa e Madri, tudo é possível. É hora do imperialismo cultural brasileiro. É exportando sua cultura que uma nação fica forte. Só quando uma jovem do interior do Alabama se derreter pelo Luan Santana é que estaremos perto de nos tornar uma grande potência. Claro que para isso precisaremos de atos simbólicos como a Xuxa alugar o Salão Oval da Casa Branca para a festa dos 15 anos da Sasha e a Parada da Macy’s acontecer na forma de um desfile de Parintins. Um passo de cada vez. Impérios não se constroem da noite para o dia. É um tico-tico cá, um tico-tico lá e assim conquistaremos o mundo.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@