#CADÊ MEU CHINELO?

sábado, 6 de julho de 2013

[do além] ON THE ROAD COM GPS

:: txt :: Jack Kerouac ::

Nunca imaginei que On The Road fosse reverberar por tantas décadas. Quando instalei na minha máquina de escrever um rolo de papel para telex de 37 metros, eu apenas buscava uma prosa solta e fluida, mais próxima ao fraseado praticado pelos jazzistas adeptos do então nascente Bebop. Eu queria distância da sintaxe tradicional e seus compromissos com pontos e vírgulas e mais proximidade do coloquialismo, das aliterações e dos sons das ruas. Mesmo que para isso fosse necessário articular frases quilométricas. Em suma, eu não cabia num Twitter. Truman Capote chegou até a me zoar, disse que o que fazia não era literatura, mas datilografia.

O fato é que On The Road, livro inspirado em viagens que fiz entre as costas Leste e Oeste dos Estados Unidos, virou um marco da contracultura e a obra que melhor representa a geração Beat. Nele, apresentei ao mundo uma nova maneira de encarar a vida e, de arrasto, outro conjunto de valores. Dá pra dizer, sem forçar a barra, que naquelas páginas já estavam impressas as bases do movimento hippie. Sem contar na influência direta em artistas do calibre de Bob Dylan, Jim Morrison e Hunter Thompson. Não lembro de nenhum outro livro tão decisivo para o século XX. Talvez o Só É Gordo Quem Quer, best seller dos anos 80 que traumatizou milhares de obesos brasileiros, expondo sua falta de vontade de emagrecer.

Não quero aqui exaltar meus êxitos. Retomei o assunto porque, dia desses, enquanto navegava pela internet, me dei conta de que On The Road jamais seria escrito nos dias que correm. Simplesmente pelo fato de que, hoje, quando as pessoas chegam de viagem, elas não têm mais nada pra contar. Já postaram tudo que lhes aconteceu no Facebook, durante o deslocamento. E o fazem generosamente com fotos, vídeos e textos. Escrevi On The Road em 1951, mas só consegui quem o publicasse em 1957. Eu mesmo não aguentaria tanto tempo sem divulgar as histórias extraordinárias e ordinárias que acumulei na estrada.

O problema é que a narrativa do Facebook é tudo, menos fluida. Você, se me aceitasse como amigo, leria, vez ou outra, coisas do tipo: roubei um Cadillac, tomei dois litros de uísque e transei com a mulher do meu amigo, numa linha de trem. Lou Reed e outras três pessoas curtiram isso. E logo abaixo veria as fotos de um casamento de algum desconhecido que apareceu no seu mural porque outro conhecido que você desconhece foi marcado nelas. O que me leva a concluir que as redes sociais são contra a contracultura.

Outro obstáculo adicional para que On the Road surgisse na era digital seria a dificuldade de se perder. Cá pra nós, é impossível vagar por aí ao sabor do vento, posar de andarilho, sem meta, objetivo, porto ou linha de chegada com uma voz impessoal e robótica a lhe dizer: chegando ao seu destino. 


Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@