#CADÊ MEU CHINELO?

sábado, 29 de junho de 2013

[a vida como ela noé] BRASIL, JUNHO DE 2013

:: txt :: Paulo Wainberg ::

Sobre os movimentos, passeatas e manifestações de junho de 2013 em todo o Brasil,
principalmente no que diz respeito à reação policial aos atos de vandalismo praticados por
criminosos entre as multidões, sugiro esta reflexão:

E se você fosse da polícia de choque, treinada para o ataque e para o conflito.

E se durante uma manifestação, um grupo começa a quebrar, invadir lojas, roubar, depredar,
incendiar e destruir.
E se você recebe ordens de seu comando para conter os atos de vandalismo e prender os
criminosos.
E se você investe contra o bando de vândalos você:

a) Pergunta delicadamente a cada pessoa no seu caminho se ele é vândalo?
b) Ataca o grupo sem identificar indivíduos e tenta proteger o bem público, deter e prender os
criminosos?
Não, não estou defendendo violência policial, muito pelo contrário. Estou dizendo que a polícia,
como um todo, como uma instituição republicana inserida na ordem democrática, tem o dever de
impedir a prática de crimes, deter e prender os criminosos.
Estou dizendo que numa multidão agressiva, é impossível à polícia fazer distinções, na hora em que
ela, a polícia, tem que responder aos ataques.
A polícia é composta de seres humanos. Cada policial tem medo, tem instinto de preservação, tem
treinamento e discernimento.
Porém, e já participei disto nos meus antigos tempos, quando se trata de enfrentar a multidão, é
impossível discernir.
Só isto.

Que nos protestos de hoje, os criminosos, traficantes, ladrões, assassinos e outros criminosos
comuns, possam ser identificados e excluídos do movimento. É o único modo de a manifestação
começar e terminar em paz.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@