#CADÊ MEU CHINELO?

quinta-feira, 3 de maio de 2012

[cc] INTERNET É EXTENSÃO DA CIDADE





::txt::Ronaldo Lemos::


“Não me tires o que não me podes dar!”, disse o cínico Diógenes para Alexandre, o Grande, quando este lhe fez sombra ao se posicionar em frente ao sol que banhava o filósofo. Milênios depois a anedota ainda ajuda a pensar sobre os limites da convivência. Questão que fica mais complexa à medida que a internet vai virando uma extensão da cidade: uma camada adicional do espaço público, igualmente permeada por regras de coexistência forjadas a duras penas nos embates do dia a dia.
Um exemplo fascinante desse embate é a recente moda dos bloqueadores portáteis de celular. Isso mesmo: aparelhos que cabem no bolso (ou na bolsa, dependendo do modelo) e criam um raio de até 15 metros onde é impossível usar o celular para falar ou acessar a internet. No Brasil os mais baratos são vendidos por R$ 90. O recurso vem caindo nas graças dos vigilantes do cotidiano, gente que pega ônibus (ou trem) e se cansou de ouvir conversas gritadas pelo celular durante a viagem. Solução: tapar o “sol” de todos para punir alguns.
Esse tipo de medida, além de ser uma modalidade de colapso da cidadania, expõe também a fragilidade do espaço digital. Se a moda pega, pode ganhar contornos de tragédia grega. Quem foi bloqueado hoje vai querer bloquear amanhã. Com isso o convívio vai se tornando inviável. Levada ao extremo, grupos articulados ou um governante mal-intencionado (como Mubarak fez no Egito) conseguem interromper partes da rede. Isso faz lembrar que, por incrível que pareça, a internet depende enormemente da ética de quem a utiliza para funcionar.
Três anos de prisão
Tal como nas cidades, ações de interrupção do espaço digital vão ganhando conotação política. É só pensar no Anônimos, o grupo hacker que consegue chamar a atenção derrubando sites como forma de protesto. Para além, não seria improvável protestos com base na nova onda. Por exemplo, um grupo segue para a avenida Paulista não para interromper o trânsito, mas para estrategicamente bloquear a comunicação por celular ao longo da avenida. O artista plástico Marcelo Cidade tentou fazer algo parecido na Bienal de 2006: interromper o sinal de todo o prédio da exposição, o que foi vedado pelo jurídico da Bienal. Bloqueadores de celular são ilegais no Brasil (exceto em presídios e em poucos casos permitidos). E o Código Penal estabelece pena de prisão de até três anos para quem “interrompe ou perturba serviço telefônico”.
Para a internet continuar a ser extensão da cidade, aberta e porosa, ela depende de um pacto social mais delicado do que se imagina. Se gentileza gera gentileza, a máxima pode ser multiplicada por cada byte que compõe a rede.
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@