#CADÊ MEU CHINELO?

segunda-feira, 27 de abril de 2015

[...] QUEM INVENTOU?

:: txt :: Paulo Wainberg ::

Vivo atormentado porque não consegui até hoje descobrir o inventor de um utensílio que revolucionou a gastronomia, a arte de comer e a higiene bucal: O palito de duas pontas.

Após a leitura de extensa biografia, soube que nas eras antigas, o homo sapiens não usava palitos. Se um pedaço de tiranossauro Rex ficasse preso entre dois dentes, ele simplesmente arrancava o dente com seu tacape e, quase sempre, arrancava dois ou três de brinde.

Era mais cômodo, naqueles tempos primitivos, ficar sem dentes do que suportar pedaços de carne entranhados os quais não saíam a ponto de as tentativas com a língua gerarem dolorosas cãibras.

Com a sofisticação evolutiva tornou-se evidente e segundo um memorável estudo arqueológico realizado por um professor de antropologia de uma universidade, cujo nome se me escapa à memória, a sociedade humana passou a usar achas, ou melhor, lascas de achas de lenha, galhos e qualquer outro material duro para extirpar os incômodos restos alimentares, teimosamente alojados entre caninos, molares e dentes de siso.

Na época dos palácios e castelos, a Humanidade aperfeiçoou o método graças à genialidade de um cavalariço que, observando um prego utilizado para as ferraduras e que, no momento, servia para retirar uma grossa ervilha de dentro da cavidade de um molar cariado, pensou: E se eu afiar a ponta de um pedacinho de pau?

E assim surgiu o primeiro palito, com uma ponta só.

O cavalariço, pensando em ficar rico, levou à ideia ao seu senhor feudal que, gostando da solução, mandou enforcar o cavalariço e organizou a produção em serie de palitos de uma ponta, servindo a outra para segurar o objeto, entre o polegar e o indicador.

Terminam aí os registros sobre a evolução dos palitos para forma atual, de duas pontas, de modo que quebrando uma, podemos utilizar a outra ponta, reduzindo-se consideravelmente os custos da produção.

Procurei, pesquisei, imergi nas culturas milenares da China e do Japão, riquíssimas na produção de pequenas coisas e nada, nenhum registro, nenhuma alusão aos palitos de duas pontas, nem na literatura universal, na produção científica dos últimos mil anos e nos almanaques parisienses do Século XVI.

Hoje, quando vejo alguém utilizar o palito no restaurante, com recato e respeito ao olhar alheio, fico fascinado esperando o momento em que ele vai virar o objeto para utilizar a outra ponta e quando aparece a ponta suja entre os dedos da mão utilizada para tapar o serviço, entro em pânico, falta-me o ar, minhas fobias afloram e meu sentimento de fracasso e de inutilidade perante os mistérios da vida ficam exacerbados ao limite.

Morrerei sem saber quem inventou o palito de duas pontas?
Postar um comentário

#ALGUNS DIREITOS RESERVADOS

Você pode:

  • Remixar — criar obras derivadas.

Sob as seguintes condições:

  • AtribuiçãoVocê deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante (mas não de maneira que sugira que estes concedem qualquer aval a você ou ao seu uso da obra).

  • Compartilhamento pela mesma licençaSe você alterar, transformar ou criar em cima desta obra, você poderá distribuir a obra resultante apenas sob a mesma licença, ou sob licença similar ou compatível.

Ficando claro que:

  • Renúncia — Qualquer das condições acima pode ser renunciada se você obtiver permissão do titular dos direitos autorais.
  • Domínio Público — Onde a obra ou qualquer de seus elementos estiver em domínio público sob o direito aplicável, esta condição não é, de maneira alguma, afetada pela licença.
  • Outros Direitos — Os seguintes direitos não são, de maneira alguma, afetados pela licença:
    • Limitações e exceções aos direitos autorais ou quaisquer usos livres aplicáveis;
    • Os direitos morais do autor;
    • Direitos que outras pessoas podem ter sobre a obra ou sobre a utilização da obra, tais como direitos de imagem ou privacidade.
  • Aviso — Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro a terceiros os termos da licença a que se encontra submetida esta obra. A melhor maneira de fazer isso é com um link para esta página.

.

@

@